terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Figueirense 1 x 1 Corinthians – Mais um empate para a nossa conta

Depois de 11 dias sem o Campeonato Brasileiro, a equipe do Corinthians foi até Floripa para enfrentar o time do Figueirense pela 35ª rodada. Com tempo para treinar e a torcida cobrando a volta para o G-6, todos pensaram que o Corinthians poderia surpreender, entretanto falhas e mais falhas e um jogo apático demais.
No primeiro tempo não conseguíamos dar dois passes certos, faltava criatividade no meio de campo, uma vez que Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel não conseguiam se encontrar. A melhora se deu depois dos 30 minutos, quando o técnico Oswaldo inverteu seus meias, mas foi algo bem discreto. Tanto que Giovanni conseguiu deixar Guilherme Arana em boa situação, e o lateral cruzou para Lucca que errou o chute. No segundo próprio Giovanni Augusto bateu para o gol, mas Gatito se esticou todo e fez linda defesa.
O adversário também pouco produzia, mesmo jogando em casa. O goleiro Cássio só assistiu a partida. E quando parecia que os dois times iam para o vestiários zerados, o volante Camacho, aos 44 minutos, pegou a bola no meio de campo e avançou, driblou Ferrugem, ameaçou chutar e deixou Jackson Caucaia no chão, depois foi a vez de tirar Marquinhos e chutar com precisão no ângulo de Gatito para abrir o placar com um golaço.
Com isso o time corinthiano foi mais confiante para o vestiário, sendo que estava fazendo seu objetivo de conquistar seus três pontos e conseguir entrar novamente no G-6.
Na volta para o segundo tempo, o Figueirense que também queria se livrar da zona de rebaixamento se lançou para o ataque, nos possibilitando os contragolpes. E isso possibilitou que criássemos diversas chances de ampliar o placar, com Rodriguinho, Giovanni Augusto, Maqruinhos Gabriel e até Guilherme Arana, mas as finalizações iam para fora ou Gatito fazia boas defesas. Até a trave salvou o adversário.
O técnico Oswaldo observando o andar do relógio começou a fazer suas alterações, sacou Fágner (que estava voltando da seleção brasileira) e colocou Léo Príncipe. Também tirou Marquinhos Gabriel e pôs Marlone. E já aos 42 minutos, fez aquela alteração para esfriar o jogo, tirando Lucca e colocando Gustavo.
Parecia que tudo estava encaminhado para a vitória, entretanto aos 48 minutos, o volante Willians (Bunda de Elefante) perdeu a bola na defesa e foi obrigado e fazer falta em Rafael Moura. Com isso foi todo o time do Figueirense para dentro de nossa área, a defesa até saiu e deixou o He-man em impedimento, mas o assistente não viu e deu gol legal.
Os jogadores partiram pra cima do trio de arbitragem, entretanto ninguém voltou atrás, e o árbitro Anderson Daronco apontou o centro do campo e terminou a partida. Com isso perdemos dois pontos importantes fora de casa.
Continuamos fora do G-6 e agora vamos receber, em nossa Arena, a equipe do Internacional, na segunda-feira (21/11), às 20h. Sendo que dependendo do resultado poderemos rebaixar o time gaúcho para a Segunda Divisão. 

Pra cima, Timão!

São Paulo 4 x 0 Corinthians – Um futebol pequeno para um time grande

O Corinthians chegou no estádio do Morumbi, com somente um objetivo: vencer. Garantir os três pontos e voltar para o G-6 do torneio, entretanto não foi isso que aconteceu. O time do Morumbi queria nos pressionar, e nós começamos a cadenciar a partida.  Entretanto aos 11 minutos, Kelvin foi pra cima de Fágner e caiu, o árbitro apontou a marca da cal, o que revoltou a todos, uma vez que o adversário claramente se jogou no gramado.
Depois de muita confusa, Cueva cobrou a penalidade e marcou o primeiro gol do clássico. Como a torcida corinthiana foi proibida de ir ao estádio, sendo a partida de torcida única, o estádio ficou todo alegre.
Aos poucos fomos nos acalmando e controlamos totalmente a partida, com posse de bola, mas que não resultava em eficiência em nosso ataque. Por mais uma vez, Marquinhos Gabriel totalmente apagado.
O jogo ainda teve que ficar parado por duas vezes, porque o torcedor adversário acendeu seus sinalizadores. E aos 38 minutos, Kelvin saiu para a entrada de Luiz Araújo. E com isso o Corinthians pressionou, e quase chegou ao gol com Romero, que perdeu gol de cabeça incrível. Na sequência o paraguaio fez tudo certo e bateu para o gol, mas o lateral Mena conseguiu salvar em cima da linha.
Com isso fomos para o vestiário com a possibilidade de voltar e empatar a partida, mas parece que esfriamos muito, e na volta começou o nosso drama maior. O time do Morumbi começou a nos pressionar de todas as maneiras, com o desperdício de diversas chances de gol de Cueva e Chávez. Mas aos 15 minutos, Guilherme Arana vacilou e a bola sobrou para David Neres que fez o segundo gol.
O gol desmontou o nosso time por completo, já não conseguíamos trocar passes certos e a defesa só queria saber de dar chutões. O técnico Oswaldo de Oliveira então sacou Marquinhos Gabriel e colocou o velocista Rildo. Entretanto aos 21 minutos, Cueca deu assistência para Chavez que bateu firme para fazer 3 a 0.
Com o resultado, Camacho entrou no lugar de Guilherme, assim obviamente para segurar o placar como estava. Mas o adversário não quis saber e continuou a nos pressionar e levar muito perigo ao gol de Cássio.
A arquibancada gritava “olé”, e nosso setor de meio-campo e ataque quase inexistia. E então aos 47 minutos, Cueca novamente deu belo passe, agora para Luiz Araújo que deu números finais a partida e decretou a goleada.
Com o resultado estacionamos nos 50 pontos e continuamos fora do G-6. O time terá praticamente 10 dias para treinar e se aprimorar, já que nas próximas semanas haverá datas Fifa, que as seleções estarão disputando amistoso e partidas oficiais pelas Eliminatórias.
O próximo jogo é na quarta-feira (16/11), às 21h45, contra a equipe do Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. 

Pra cima, Timão!

Corinthians 1 x 1 Chapecoense – Jogo truncado e decidido nos pênaltis

O Corinthians recebeu em sua Arena a equipe da Chapecoense pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. E o objetivo era a vitória perante o seu torcedor, bem como subir um pouco mais na tabela de classificação e entrar definitivamente no Grupo das equipes que se classificam para a Libertadores da América de 2017. Com isso o time de Parque São Jorge ameaçou o adversário logo aos 3 minutos, após boa troca de passes entre Giovanni Augusto e Uendel, mas Danilo fez uma grande defesa.
Já aos 7 minutos, quem chegou foi a Chapecoense, o nosso setor defensivo saiu jogando errado, Ananias roubou no meio de campo e lançou Bruno Rangel, que bateu cruzado, mas a bola passou ao lado da trave de Walter.
E mesmo nem tendo tocado na bola, Walter caiu no gramado sentindo uma lesão na coxa. Foi solicitado o atendimento médico e o arqueiro continuou na partida, mas ao bater o tiro de meta foi ao chão e Cássio teve que entrar em seu lugar.
Tentávamos pressionar, mas a Chapecoense fazia uma marcação muito forte, quando Marlone conseguiu romper a barreira, abriu para Giovanni Augusto que cruzou rasteiro para Ángel Romero, que furou na finalização e perdeu uma clara oportunidade de gol. No final do primeiro tempo nada de gols.
Na volta do intervalo, o Corinthians continuou a sofrer para criar boas chances de gol. Mas aos 4 minutos, Giovanni Augusto deixou Marquinhos Gabriel cara a cara com Danilo, o meia encobriu o arqueiro adversário, entretanto a arbitragem já marcava impedimento.
O técnico Oswaldo de Oliveira esperou chegar aos 15 minutos, para começar a promover algumas alterações, o primeiro a sair foi Marquinhos Gabriel e em seu lugar entrou Lucca. Em seguida sacou Marlone e colocou o rápido Rildo. E as substituições deram certo, porque aos 27 minutos, Rildo sofreu pênalti de Gimenez. Na cobrança Giovanni Augusto bateu firme para abrir o placar.
Com isso recuamos muito e esperávamos os contra-ataques, mas aos 34 minutos tivemos a chance de ampliar quando Rildo recebeu de Rodriguinho e tentou a finalização, mas a bola desviou no zagueiro e sobrou para Fágner que chutou na pequena área, mas acabou isolando a bola.
E como se tem aquele ditado antigo, “quem não faz toma”, e aos 38 minutos, o nosso zagueiro Pedro Henrique (que adora cometer um pênalti), foi tentar tirar a bola da área e derrubou Lucas Gomes. Não teve o que o árbitro fazer a não ser marcar pênalti. Na cobrança, Bruno Rangel deslocou o goleiro Cássio e empatou a partida.
Nos minutos finais, tentamos pressionar a Chapecoense, entretanto ai que eles se fecharam ainda mais para assegurar o resultado. E as vaias começaram a surgir das arquibancadas, mas nada se podia fazer.
Com o resultado chegamos aos 50 pontos e perdemos a nossa posição no G-6. Agora nos preparamos para jogar contra o time do Morumbi no sábado (05/11), às 19h30, fora de casa. 

Pra cima, Timão!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Flamengo 2 x 2 Corinthians – O árbitro fez com que o adversário não perdesse

O time do Corinthians foi até o Rio de Janeiro para participar da reabertura do Maracanã, frente ao time do Flamengo pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, entretanto além dos 11 jogadores do adversário também existia o árbitro Anderson Daronco, que conseguiu nos prejudicar nos dois gols marcados pelo Flamengo.
A primeira chance foi da equipe carioca, aos 3 minutos, quando Diego cruzou para Macuello, que deixou a bola passar para Willian Arão o qual foi para finalizar, mas Fágner chegou no momento certo para impedir.
Já aos 5 minutos, novamente a equipe do Flamengo chegou ao ataque com Diego, mas apesar do meia ter anotado o gol, o árbitro marcou impedimento e invalidou o tento. No lance seguinte, foi a vez de sairmos de trás e abrirmos o placar. A bola chegou em Ángel Romero, que cruzou para Guilherme o qual bateu com precisão, a bola tocou na trave e morreu no fundo da rede do goleiro Alex Muralha.
Com isso o time corinthiano passou a ficar mais defensivo e querer apostar somente no contra-ataque, assim dêmos espaço para que o Flamengo avançasse e aos 14 minutos, Diego bateu escanteio e Paolo Guerrero, em impedimento, desviou para o gol. Isso revoltou jogadores e Comissão Técnica, mas o árbitro mandou o jogo seguir.
Com o empate já tentamos reagir com Guilherme, que fazia uma das suas melhores partidas, e o atacante quase surpreendeu Muralha, mas a bola acabou passando rente ao travessão e saindo. Em seguida foi a vez de Ángel Romero, que se aproveitou da falha de marcação para penetrar e chutar, mas a bola acabou saindo ao lado do gol.
E só dava Corinthians na partida, tanto que aos 23 minutos, Giovanni Augusto deu belo passe para Marquinhos Gabriel, mas o goleiro Alex Muralha foi mais esperto e antecipou. Já aos 25 minutos, Diego foi acionado pelo Flamengo e lançou Réver, dentro da área, o zagueiro concluiu, mas Walter fez grande defesa.
Aos 30 minutos, o ritmo ficou mais lento, mas enquanto a equipe carioca tinha a posse de bola, o time do Corinthians esperava somente uma brecha para dar o bote e marcar o segundo gol. E aos 46 minutos, o time de Parque São Jorge marcou o gol de desempate, Romero se aventurou pela direita e cruzou, Guilherme fez o corta-luz e Rodriguinho completou para as redes e fez 2 a 1.
Na volta do intervalo, o time do Flamengo tirou Mancuello e colocou Fernandinho, assim dando mais movimentação no ataque. Com isso a equipe carioca passou a atuar mais adiantada, impedindo que tivéssemos muita liberdade para sair jogando. Com isso os nosso zagueiros começaram a dar chutões e isso não levava a lugar nenhum.
Aos 7 minutos, o volante Williams (Bunda de Elefante) tocou a mão na entrada da área. O árbitro marcou falta, mas na cobrança Diego só recuou para o goleiro Walter. No lance seguinte, Fernandinho tabelou com Paolo Guerrero que invadiu a área e concluiu, mas novamente Walter estava lá para fazer grande defesa.
Os cariocas começaram a nos pressionar e aos 13 minutos, a bola foi alçada em nossa área, Willian Arão desviou e sobrou para Paolo Guerrero, que novamente em posição duvidosa empatou a partida.
Com o empate a torcida do adversário começou a empurrar o time para tentar a virada, e aos 15 minutos quase isso aconteceu, porque Diego cruzou, a bola desviou em Fágner e acabou com Émerson Sheik que concluiu em cima da zaga.
Já aos 19 minutos, Ángel Romero, também em tarde inspirada, fez grande jogada e cruzou para Guilherme, mas ele parou no goleiro Alex Muralha. E aos 25 minutos, Balbuena derrubou Guerrero na entrada da grande área, Diego cobrou falta, mas a bola ficou na barreira.
O Corinthians foi cansando e com isso demos espaço para o Flamengo que pressionada muito em busca de mais um gol. Percebendo isso, o professor Oswaldo Oliveira sacou Marquinhos Gabriel e colocou Marlone. E para atrapalhar tudo, aos 31 minutos, o atacante Guilherme tentou atrapalhar uma cobrança de falta no campo de defesa, como já tinha amarelo, o árbitro o expulsou.
Com um jogador a menos, o Corinthians queria somente um contra-ataque para quem sabe definir a partida. Mas o nosso ídolo Émerson Sheik quase marcou, aos 39 minutos, entretanto Walter estava lá para mais uma defesa. E a última chance clara de gol se deu aos 44 minutos, e foi nossa com o meia Marlone, que tentou colocar no ângulo de Alex Muralha, mas a bola foi pra fora.
No final 2 a 2 e um ponto para cada time no clássico das multidões. E agora o Corinthians se prepara para enfrentar a equipe da Chapecoense pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Pra cima, Timão!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

2º Jogo das Quartas de Final da Copa do Brasil – Cruzeiro 4 x 2 Corinthians

A equipe do Corinthians entrou em campo com vantagem de poder empatar para se classificar à próxima fase do torneio. Entretanto os vacilos defensivos foram superiores aos permitidos e com isso além de perdermos a vaga, ainda fomos goleados por um time que não é tão bom assim, além de ter diversas carências.
A partida começou com o time mineiro pressionando o Timão, e logo aos 8 minutos o atacante Rafinha sentiu um desconforto na coxa e teve que dar o seu lugar para Arrascaeta. E parece que com a entrada do uruguaio, o time do Cruzeiro começou a jogar ainda mais, e aos 13 minutos, Fágner quis sair jogando e perdeu a bola. Então Robinho tocou para Arrascaeta que cruzou para Ábila somente escorar para dentro do gol, e já na pequena área. Estava aberto placar.
Com o resultado estávamos ficando fora da competição, por isso mesmo começamos a atacar mais e Romero e Guilherme trocavam constantemente de posições. E aos 34 minutos, Uendel recebeu passe de Guilherme e cruzou na área, e Rodriguinho cabeceou firme para empatar o jogo.
Com a partida igual novamente, os dois times “batalharam” pelo meio de campo, mas antes do intervalo o Corinthians tinha 54% da posse de bola. E a ordem do técnico Oswaldo de Oliveira era que seus comandados não recuassem na volta do segundo tempo. Mas aos 13 minutos, o nosso zagueiro Pedro Henrique não conseguiu ganhar na corrida de Arrascaeta e acabou fazendo pênalti. Na cobrança Ábila colocou novamente a equipe Celeste em vantagem.
Com o resultado a favor e a torcida empolgada, o Cruzeiro voltou a pressionar o time do Corinthians, e nós não suportamos e falhamos novamente aos 16 minutos, quando Robinho cobrou escanteio e Bruno Rodrigo teve liberdade para cabecear e aumentar a vantagem de sua equipe.
Eliminado com o placar de 3 a 1, o Corinthians se lançou de vez ao ataque e deu o contra-ataque para o Cruzeiro. E aos 23 minutos, Giovanni Augusto fez grande jogada pela direita e deixou Ángel Romero na cara do gol, mas o paraguaio errou e acertou a trave.
O professor Oswaldo então entrou em ação, depois de muito tempo, sacou Guilherme e colocou Marlone, com isso ganhamos presença ofensiva. E como tínhamos que fazer o gol, Lucca foi convocado para o lugar de Marquinhos Gabriel. Entretanto o nosso setor defensivo falhou mais uma vez, e aos 37 minutos, Robinho cobrou falta e Arrascaeta finalizou de primeira para fazer 4 a 1. Com o resultado estávamos realmente ficando de fora da próxima fase.
O nosso técnico ainda fez mais uma substituição, tirou Giovanni Augusto e colocou Rildo, que aos 40 minutos surgiu no meio da área e diminuiu o placar. Com isso tínhamos cinco minutos para fazer ao menos um gol, que com o resultado agregado, conquistaríamos a vaga. E aos 47 minutos, Romero teve em seus pés a chance para marcar, entretanto a bola bateu na trave e saiu.
Com o resultado fomos eliminados da Copa do Brasil, e agora temos que focar para conquistar uma das vagas para a Copa Libertadores da América, através do Campeonato Brasileiro.
O próximo compromisso será contra o Flamengo, no domingo (23/10), às 17h, no Maracanã, em partida válida pela 32ª rodada do Brasileirão. 

Pra cima, Timão!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Corinthians 2 x 0 América (MG) – Não fizemos mais nada do que a obrigação

Atuando dentro de nossa Arena, com um grande público e contra o lanterna do Campeonato Brasileiro de 2016, o Corinthians não fez nada mais do que a obrigação de vencer o América (MG) e conquistar mais três pontos na competição.
E logo aos 4 minutos chegamos a primeira vez na cara do goleiro João Ricardo, com uma grande tabela entre Ángel Romero e Rodriguinho, que acabou na finalização fraca do atacante Guilherme, mas que passou rente a trave. Depois o adversário mineiro começou a avançar as linhas e fazer a marcação alta, tanto que Osman recebeu lançamento, ganhou de Pedro Henrique e cabeceou para a defesa de Walter.
Em seguida a esse lance tivemos a oportunidade novamente, e foi Giovanni Augusto quem chutou forte e cruzado, mas o goleiro João Ricardo espalmou para escanteio. Na cobrança Romero até marcou o gol, mas o árbitro anotou impedimento.
O jogo era bem movimentado e aos 16 minutos, Rodriguinho deixou Guilherme na esquerda e o meia rolou para dentro da área, onde estava Ángel Romero, o qual só teve o trabalho de empurrar a bola pra dentro da rede e ver a nação corinthiana ir ao êxtase em Itaquera.
Com isso nos recolhemos mais atrás e dêmos campo para o América (MG), que nos proporcionou o contra-ataque, e aos 38 minutos, Guilherme tocou de peito para Uendel, que arrancou com velocidade. Já na linha de fundo devolveu para o camisa 10, que cruzou para Rodriguinho finalizar de primeira e no ângulo do goleiro mineiro. Era o nosso segundo gol.
Com a vantagem no placar começamos a administrar o tempo, e esperamos o apito da etapa final do árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva.
Na volta do intervalo, O Corinthians queria mesmo era se poupar e administrar o resultado, com isso o América (MG) ganhou um pouco de espaço, mas nada que incomodasse o nosso time, até porque a equipe mineira é bem frágil. O único susto foi em chute de Tony que Walter teve que se esticar todo para colocar para escanteio.
Então o professor Oswaldo de Oliveira decidiu por fazer algumas alterações, sendo que sacou Marlone e colocou Rildo e Giovanni Augusto saiu para a entrada de Marciel. E aos 23 minutos, Guilherme recebeu bola em ótima posição, levantou a cabeça e lançou Rildo, que cabeceou para baixo, mas o goleiro João Ricardo fez grande defesa com o pé.
E nosso professor ainda fez mais uma alteração, sacou Guilherme e colocou Lucca, com isso dando mais movimentação e velocidade para a nossa equipe no ataque. Mas queríamos mesmo era que o jogo terminasse e conquistássemos os três pontos, e foi o que aconteceu.
No final Corinthians 2 a 0 contra o América (MG), e assim estamos na briga por uma das vagas na Copa Libertadores da América. E agora paramos no Brasileirão para nos concentrar no jogo de volta da Copa do Brasil contra o Cruzeiro, sendo que a partida será na quarta-feira (19/10), às 21h45, no Mineirão. 

Pra cima, Timão!

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Santa Cruz 2 x 4 Corinthians – Pra tirar a ‘barriga’ da miséria

O time do Corinthians foi até a Arena Pantanal, em Cuiabá, para enfrentar o time do Santa Cruz pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, na quarta-feira (12/10). Mesmo o mando sendo do time pernambucano eles decidiram por jogar em Cuiabá, local que a maioria é corinthiana.
A equipe do Timão vinha de diversos tropeços, mas com uma equipe mais compacta e com vontade de jogar para frente, acabamos conquistando os três pontos que almejávamos, entretanto o adversário foi quem abriu o placar e ainda deu muito aperto. Mas o nosso time poderia ter aberto o placar logo a um minuto de partida, quando Marquinhos Gabriel fez passe entre os zagueiros do Santa Cruz, e Marlone saiu livre na frente de Thiago Cardoso, mas conseguiu jogar para fora.
Com isso começamos a arrumar uma correria em cima do adversário, que aos poucos foi se acalmando também e valorizando mais a posse de bola. Os jogadores Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel e Marlone faziam boas triangulações, entretanto do lado do Santa Cruz começou a se destacar o meia-atacante Keno que com velocidade e técnica fazia as melhores jogadas para o centroavante Grafite.
Já aos 26 minutos, Grafite recebeu bola dentro da área, ganhou de Pedro Henrique, avançou e concluiu, mas Walter conseguiu tocar na bola que ainda beijou a trave antes de sair. E o adversário continuou a insistir e aos 29 minutos, Keno foi lançado em profundidade, e concluiu ao gol, mas Walter deu rebote nos pés de Grafite que arrematou forte para abrir o placar na Arena Pantanal.
O professor Fábio Carille ficou louco no banco de reservas e pediu para que o time fosse para o ataque, e aos 36 minutos, o lateral Léo Príncipe recebeu a bola dentro da área, e foi derrubado pelo zagueiro Léo Príncipe, mas o árbitro Grazianni Maciel Rocha mandou o jogo seguir.
Após o lance a bola saiu pela lateral, o próprio Léo Príncipe cobrou para Giovanni Augusto que de calcanhar tocou para Marlone, ele conduziu até a linha de fundo e cruzou para Guilherme, que até então estava apagado no jogo, e o meia bateu certeiro no canto para empatar.
Com isso os dois times administraram a partida até o apito final do primeiro tempo. Na volta do intervalo o Corinthians sabia que precisava da vitória se ainda quisesse sonhar com a Libertadores, por isso entrou com mais velocidade e ousadia. E logo aos 2 minutos, Camacho deu passe para Marlone, que puxou a bola pra dentro e finalizou para desempatar a partida.
E parecia que o time queria mesmo matar logo a partida, e aos 9 minutos, Giovanni Augusto levantou a bola na área, e o baixinho Guilherme aproveitou o oportunismo para de peixinho fazer o nosso terceiro gol.
A arquibancada na Arena Pantanal e os mais de 30 milhões do bando de loucos espalhados pelo mundo ficaram em êxtase com a atuação do time corinthiano. Mas o professor Fábio Carille tinha que nos irritar com substituições para trancar o time, e então sacou Camacho e Giovani Augusto para a entrada de Willians (Bunda de Elefante) e Cristian.
E isso chamou o Santa Cruz para o nosso campo, e aos 35 minutos, Keno (ótimo jogador que poderia vestir o nosso manto), depois de receber grande passe, arriscou da meia lua e não deu chance de defesa para o goleiro Walter. E sabendo que poderíamos levar o empate, o nosso professor sacou Guilherme para a entrada de Lucca. E aos 46 minutos brilhou o treinador e jogador, que se jogou na bola cruzada por Marquinhos Gabriel e marcou o nosso quarto gol.
Com isso não dava mais tempo para nada e o Corinthians conseguiu assegurar o resultado e conquistar os cobiçados três pontos. E ficamos com 45 pontos e ainda na 8ª colocação do Brasileirão. O nosso time volta a entrar em campo no domingo (16/10), às 18h30, em nossa Arena, contra o lanterna América (MG). O comando já deve ser do recém contratado Oswaldo de Oliveira. 

Pra cima, Timão!